segunda-feira, 29 de maio de 2017

Ilusão de um espelho

Era uma tarde linda. Nos decidimos nos acertar. E ali, foi onde tudo começou, finalmente havia me acertado internamente e pensei, (sonhei pq na realidade nada era real, só na minha cabeça, mas eu ali não saberia) você era tudo, o meu encontro com o universo. E olha que procurei, entrei em todas as furadas, vivi intensamente, sempre na busca de entender os outros, de abrir minha mente e pensamento, de expandir minha consciência, eu vivi, e vc sabia disso, e nunca me arrependi ou tive vergonha disso, fora as vezes que vc me ridicularizava por isso, mas tudo foi numa tentativa de escolher um parceiro, um companheiro, e quando te conheci achei que vc era o universo todo completando o meu, éramos perfeitos até inacreditável. Era tanto amor q explodia. Tanto que demos vida a outro ser. Tudo nesse momento de amor e ternura. Em nós reconciliarmos em sermos um só, projetado em outro ser. Eu sentia meu universo inteiro completo. E Sem perceber fui me afastando, afastando de todos. Fui percebendo cada vez mais seus ciúmes e manipulações pra me entristecer, enquanto grávida já tinha pensado no q eu fiz da vida aceitando tudo isso. Suas desculpas de abandono justificadas, sempre justificadas né. Sua falta de interesse e sensibilidade pra comprar as coisas do bebê, e eu achando q tinha um companheiro que em algum momento vc iria se interessar. Bom, só expectativas, nenem nasceu. A maior felicidade da minha vida. Vc estava lá e comemorou comigo. Fomos pra casa. Eu recém mãe com medo de tudo. Vc com seus perdidos intermináveis. Vou ali, vou a casa do meu pai, etc... Cada momento uma nova desculpa. Eu com um vazio imenso no peito. Um medo interminável. E as diversas coisas q nunca te contei. De não conseguir comer. De pedir pra mim já mãe trazer. Pq vc não estava lá pra cuidar da gente. Os choros sem causas do nenem e eu ligando pra que viesse me socorrer. E sempre um" daqui a pouco estarei aí. " pensa no tanto tempo remoendo a dor da solidão, do abandono, já é um período de solidão por si só, fora q vc tinha criado uma bolha dos amigos que tinha, fui me afastando sem perceber, posso ter repensado a amizade com várias pessoas e revisto. Mas nesse tempo a única coisa q sentia era solidão. Sempre ouvindo vc reclamar de tudo. Eu tbm fui me tornando um pessoa reclamando de tudo. Mudamos de casa. Um lugar meio isolado, quanta noites com medo. Eu na melhor das idéias queria te dar uma oportunidade, um espaço pra produzir o q vc dizia querer e ninguém te apoiava. Eu realmente achei estar te apoiando, e mais uma vez, na verdade estava me isolando. Vc me deixava lá e saia. Aqui é longe do q faço não dá pra morar aqui. Eu com um nenem, confinada em um local longe, quantas vezes dormi sozinha morrendo de medo de alguém entrar, lembro de todos as noites chorando de medo, não era medo por mim, era medo de não conseguir proteger a minha filha. Chamei minha mãe pra morar comigo. Não podia sair pra não pagar multa, e já não queria ficar, mas como faria sozinha ali. Sim, foi colocar um pedra no seu sapato, claro q vc surtos, mas uma vez. Mas tbm não me garantio ficar comigo e me proteger. Vc se afastou ainda mais. E eu nervosa, mas claro, as desespesas por minha conta, ah eu só posso ajudar com isso, isso era o mínimo, mas vc não via, achava que sempre eu usava fazendo o máximo.  Eu noites sem dormir roupas pra lavar casa pra cuidar nenem. Lembro das vezes que vc insistia em deixar ela chorar a noite toda, só devia ser por conta da sua preguiça de ir pegar ela durante a noite, pq quando fazia isso gritava com ela. Eu chorava eu chorava e vc não via. Vamos deixar ela chorar até dormir. Claro, que depois de tudo isso seria a solução pra vc. Mas Não pra mim. Topei. Vc me segurava pra não ir. Eu chorava. E vc não tinha do. Não sentia nada. Nem pelo meu choro e muito menos pelo dela. Foi aí que comecei a me questionar, que amor é esse? Mas o tempo foi passando para resolver essa questão. Depois disso apaguei tudo que me disseram sobre crianças. Sim ela dormia comigo na minha cama. Se sentindo amada e protegida. E até hoje é assim. Me dói as noites q estou sem ela. Mas como ser humano também tenho necessidades dos perdidos, de encontrar amigos, de desabafar. Bom fui sair a primeira vez, e vc parecia torturar, a criança e me torturar por ter saído. Ah esse seu lado. Possessão. Como odeio.

Nenhum comentário: